Vikstar investe em diferentes frentes de valorização

Negligenciar o próprio operador, é dar um tiro no pé. Pode parecer exagero, mas está longe de ser. Afinal, ele está na linha de frente do atendimento, sendo a referência para o cliente final. Por isso mesmo, cada vez mais o mercado vem dando a devida importância aos operadores. “Um operador que se sente valorizado, leva esse sentimento para a rotina de atendimento e isso, impacta diretamente na qualidade”, pontua Alexandre Gasparin, diretor de unidade da Vikstar, acrescentando que, hoje, as empresas precisam ir além e transformar a vida profissional e pessoal dos colaboradores.
Esse trabalho na Vikstar, segundo o executivo, começa já na escolha da localização das unidades. Elas estão alocadas em bairros populosos, onde antes, a população só tinha chances de emprego longe das residências. Além de disponibilizar ônibus fretado que saem de pontos estratégicos (linhas de metrô e trem) e levam os operadores até a empresa. “Sabendo que a locomoção é facilitada e que o trabalho está a poucos minutos de casa, nosso operador já se sente tranquilizado.”
Outro ponto que o diretor destaca, são os benefícios, que vão além do pagamento de Vale Refeição e Vale Transporte. “Temos convênio médico e odontológico, auxílio creche e seguro de vida, além de convênios com instituições de ensino, parques, restaurantes e institutos de beleza. Esses benefícios podem ser desfrutados em família pelos operadores e isso faz uma grande diferença”, completa. A Vikstar também atua com campanhas motivacionais, que todos os meses destacam índices de qualidade e produtividade.
A empresa também busca trabalhar o desenvolvimento profissional dos operadores. Segundo o executivo, os operadores já não trabalham apenas para ter um salário ao final do mês. “Eles buscam ascensão profissional e sabem que neste setor, existem chances de crescimento.” Foi de olho nisso que Robson Moreno, operador de telemarketing há mais de dois anos, entrou no setor. “Pretendo subir de cargo. Sei que nesta área, existem chances de chegar a um cargo de supervisão. Basta ter empenho e se dedicar que as oportunidades aparecem”, afirma.
Porém, acima de tudo isso, Gasparin coloca o contato direto com os operadores. A cada dois meses, ele faz uma reunião com cerca de 10 operadores para conversar sobre a rotina da operação. “Já fui operador, minha carreira começou de lá, então sei os problemas que enfrentam. Juntos, vamos encontrando soluções. Eles adoram esses encontros e sempre perguntam pelos próximos. Você olhar no olho do operador, conhecer a história dele e contar um pouco da sua, faz toda diferença”, revela.
Dentro dessa estratégia, o Dia do Operador, comemorado no último sábado (04) não pode passar em branco. Nas unidades da empresa, os operadores foram recebidos pelos gestores e diretores das operações, que entregaram chocolates com uma mensagem positiva. Além disso, quando os operadores pegaram no telefone para começarem a trabalhar, ouviram uma mensagem especial do presidente da empresa, Antoninho Nicolodi. “As expressões foram sensacionais! Todos ficaram surpresos com as palavras do presidente.” Em São Paulo, a ação ganhou ainda mais uma ação com o samba do operador, tocado, cantado e composto por colaboradores administrativos. “Eles criaram uma letra homenageando os operadores e fizeram apresentações para todas as turmas”, conta o diretor.
Fonte: callcenter.inf.br
http://www.callcenter.inf.br/rh/58761/e-preciso-ir-alem/ler.aspx

Destaques

Veja todos os destaques